O escritório de advogados Mossak Fonseca, no centro do escândalo dos Papéis do Panamá, anunciou esta quarta-feira que vai processar judicialmente o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação por ter divulgado a sua base de dados.

Como empresa responsável e que respeita a liberdade de imprensa, temos tentado comunicar para evitar uma ação judicial. No entanto, o consórcio obriga-nos a iniciar ações legais para nos protegermos daqueles atos”, refere, em comunicado, a empresa.

Uma investigação realizada por uma centena de jornais em todo o mundo sobre 11,5 milhões de documentos revelou bens em paraísos fiscais de 140 responsáveis políticos ou personalidades públicas.

O Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) publicou esta segunda-feira uma base de dados navegável e acessível ao público, onde é possível consultar informação sobre mais de 214.000 mil empresas offshore, sediadas em 21 paraísos fiscais, de Nevada a Hong Kong passando pelas Ilhas Virgens Britânicas, mantida até agora sob o mais restrito sigilo.