O London Classic Car Show que começa nesta quinta-feira na capital inglesa vai exibir um Jaguar único de 1954 cujo restauro demorou 6.725 horas.

O número de horas despendido pelos especialistas do Classic Motor Car (CMC) equivale a 280 dias seguidos sem parar um segundo (e ainda mais cinco horas) a trabalhar.

O objeto de tanto trabalho é o Jaguar XK120 SE de 1954 com a carroçaria de autoria Pininfarina.

No verão passado, este exemplar único já foi atração principal no Concours d’Elegance de Pebble Beach, na Califórnia (EUA). Mas a sua fama começou logo quando se mostrou ao público pela primeira vez no Salão de Genebra de 1955.

O seu carácter único vem do facto, ao contrário dos outros XK120, o chassis S675360 ter a assinatura da casa Pininfarina. O carro foi importado para os EUA por Max Hoffman e terá sido este empresário austríaco radicado em Nova Iorque quem terá levado Pininfarina a reinterpretar as formas do XK e a levar o seu exemplar a Genebra em 1955.

“A vida do carro é um pouco um mistério, pois não há muita informação sobre o seu paradeiro depois de 1955. A CMC comprou o carro em 2015 a um senhor alemão que o tinha comprado os EUA em 1978 com a intenção de restaurá-lo, mas nunca o fez. Nós encetámos o desafio e começou então uma jornada épica de 6.725 horas”, afirmou Nigel Woodward, diretor da casa especializada em clássicos e no seu restauro.

O longo trabalho começou por uma inspeção forense que foi conseguindo detetar mitos dos componentes, cores ou materiais originais – outros foram recuperados a partir de fotografias. O recurso a scanners 3D foi fundamental para se proceder a muito trabalho de reprodução dos componentes originais.