No Egito, falharam os esforços diplomáticos internacionais para resolver a crise política em que o país se encontra, desde a deposição de Mohamed Morsi da presidência do país.

Os representantes dos Estados Unidos, da União Europeia, da União Africana, dos Emirados Árabes Unidos e do Qatar já deixaram o Egito, após várias rondas negociais sem sucesso.

Desde que Morsi foi afastado do poder, os protestos violentos já provocaram mais de 250 mortos no país.

O presidente interino, Adly Mansour, já reagiu a este falhanço diplomático, recusando qualquer responsabilidade do atual Governo de transição.