A bolsa nacional perdeu 1% pressionada pelas quedas mais fortes das retalhistas e da Mota-Engil, em linha com o fecho negativo das pares europeias, depois de mais um conjunto de dados macroeconómicos fracos na zona euro.

O sector do retalho foi o mais castigado na sessão de hoje, tendo a Jerónimo Martins desvalorizado 3,45% para 8,417 euros e a Sonae recuado 2,18% para 1,123 euros, em linha com as pares europeias, após o profit warning da britânica J.Sainsbury.

A construtora Mota-Engil corrigiu do disparo de ontem, após ter vencido mais de 600 milhões de euros em novas obras, e fechou a perder 3% para 4,96 euros.

Pressão adicional da Galp Energia, a cair 1,75% para 12,645 euros, acompanhando as descidas das petrolíferas europeias, tendo sido ainda penalizada por um downgrade do Credit Suisse.

Esta casa de investimento cortou a recomendação da Galp para ‘Neutral’ de ‘Outperform’.

A Portugal Telecom caiu 1,56% para 1,64 euros e da EDP desceu 0,52% para 3,437 euros.

Em sentido contrário, a EDP Renováveis subiu 0,56% para 5,521 euros, após anunciado um encaixe de 160 ME com a venda de 49% de uma empresa de parques eólicos em França a um fundo liderado pela egípcia EFG Hermes.

Também a Teixeira Duarte escapou às quedas generalizadas do mercado, fechando com uma valorização de 1,75% para 0,871 euros depois de ter vencido um contrato para a restauração e duplicação de uma via rodoviária no Estado da Baía, no Brasil, acrescentando 68,2 ME à sua carteira de encomendas.

Do outro lado do Atlântico, o primeiro caso de Ébola confirmado no país está a assustar os investidores, levando a uma queda de 1,02 do Dow Jones e de 0,95% do Nasdaq.