Maria Luís Albuquerque reagiu, em comunicado enviado às redações este sábado, às declarações feitas por António Costa na TVI.

A Ministra das Finanças afirma que "após o primeiro encontro entre a Coligação Portugal à Frente e o Partido Socialista", contactou Mário Centeno e disponibilizou-se "para reunir de imediato". 

"Não tendo o Dr. Mário Centeno tido disponibilidade durante o fim-de-semana, alegando compromissos pessoais, a reunião só veio a ter lugar na segunda-feira, dia 12 de outubro. O conteúdo da reunião resultou das questões que o PS tinha colocado por escrito, no dia 10 de outubro, e decorreu no âmbito do processo negocial encetado com a Coligação Portugal à Frente, vencedora das eleições legislativas". 


Segundo Maria Luís Albuquerque, nesse encontro, "as questões foram essencialmente focadas em aspetos macroeconómicos e orçamentais".

A ministra reitera ainda que "a situação das finanças públicas portuguesas é absolutamente transparente e é permanentemente auditada por entidades independentes nacionais e externas" e que por isso "nada do conteúdo da referida reunião é suscetível de suportar as insinuações proferidas pelo Secretário-Geral do PS".

"Em política não vale tudo e do Partido Socialista esperar-se-ia um comportamento responsável e verdadeiro perante os Portugueses".

António Costa insinuou, na sexta-feira, em entrevista à TVI, que a coligação escondeu dos portugueses algo de grande gravidade económica, de que o PS teve conhecimento nas reuniões que manteve com Passos Coelho e Paulo Portas.