Os riscos para a economia global cresceram nos últimos meses, sobretudo devido ao abrandamento económico da China e também ao início previsto do ajustamento da política monetária norte-americana e britânica, afirmou esta terça-feira a diretora-geral do FMI.

"Os riscos em baixa são maiores do que antes", afirmou Christine Lagarde numa conferência sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas, quando comentava o estado da economia mundial e o abrandamento recente da economia chinesa como um fator importante.

Além da China, que teve um mês de agosto difícil com episódios de grande volatilidade financeira e cujas autoridades surpreenderam com uma desvalorização do yuan, a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI) sublinhou que "é provável" que a iminente subida das taxas de juro nos Estados Unidos e no Reino Unido também gere "turbulências".