O aumento do investimento entre Portugal e Angola passa pelo estabelecimento de participações cruzadas entre empresas dos dois países, afirmou esta terça-feira em Lisboa o Presidente angolano, José Eduardo dos Santos.

O chefe de Estado angolano falava numa conferência de imprensa conjunta realizada no Palácio de Belém, no quadro da visita de Estado de dois dias que iniciou esta terça-feira a Portugal e após um encontro com o Presidente Aníbal Cavaco Silva, que durou cerca de uma hora.

UNITA quis negociar com Vale e Azevedo

«As relações [entre Portugal e Angola] são excelentes, mas há muito que fazer».

José Eduardo dos Santos salientou ainda a necessidade de «estabelecer um quadro financeiro que permita a expansão do investimento público e privado entre os dois países».

Cavaco defende «verdadeira parceira estratégica»

O Presidente da República defendeu uma «verdadeira parceria estratégica» entre Portugal e Angola para construir um futuro de melhor relacionamento entre os dois países e o reforço das relações económicas.

«Podemos olhar para o futuro com confiança e ambição. Para construir um futuro de melhor relacionamento entre os dois países devemos pensar numa verdadeira parceria estratégica», afirmou Cavaco Silva, numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, que iniciou uma visita de Estado a Portugal.

Sublinhando o «significado muito especial» da deslocação de José Eduardo dos Santos a Portugal, o chefe de Estado português destacou o relacionamento também especial que une os dois países, «um relacionamento maduro».

«Hoje Portugal e Angola têm um relacionamento maduro, um relacionamento adulto. Mas, esta visita é um passo da maior importância para o fortalecimento das relações política, que são excelentes, mas também para as relações económicas, sociais e culturais».