logotipo tvi24

Ucrânia e EUA avisam Rússia contra «agressão» na Crimeia

Moscovo colocou tropas em alerta junto à fronteira. Bandeira russa hasteada no Parlamento regional da península ucraniana

Por: Redacção / AR    |   2014-02-27 21:05

Cresce a preocupação na Ucrânia após a Rússia ter iniciado manobras militares junto à fronteira com a Crimeia. O presidente interino da Ucrânia, Oleksander Turchinov, já advertiu que quaisquer movimentos das tropas russas fora da base naval na Crimeia serão considerados uma «agressão militar», um ato provocatório, noticia a BBC News.

Os exercícios começaram na quarta-feira a pedido do Presidente russo, Vladimir Putin, que colocou em alerta as tropas do Oeste e Centro do país, com o intuito de «verificar a prontidão de combate».

O ministro russo da Defesa, Serguei Shoigu, referiu que os exercícios não estão relacionados com os últimos desenvolvimentos na Ucrânia, onde as tensões continuam após a destituição de Ianukovich, mas são para garantir a segurança da base naval de Sebastopol.

«Gostaria de chamar a liderança da Federação da Rússia a respeitar os acordos básicos sobre a presença militar russa na República Autónoma da Crimeia», disse Turchynov citado pela BBC.

A primeira reação da Rússia à destituição de Viktor Ianukovich, a par de violentos protestos contra a interferência russa no processo de associação de Kiev à União Europeia, também já levou os Estados Unidos a alertarem contra qualquer intervenção militar por parte de Moscovo.

De acordo com a Reuters, o secretário de Estado dos EUA alertou que a Rússia incorrerá num «grave e imenso erro» se intervier na Ucrânia. Ao mesmo tempo, John Kerry anunciou a concessão de um empréstimo de mil milhões de dólares ao novo Governo de Kiev, numa altura em que os dois maiores bancos da Rússia congelaram as linhas de crédito para a Ucrânia.

Separatismo: bandeira russa hasteada no Parlamento da Crimeia

De acordo com a BBC, o Presidente interino da Ucrânia expressou também preocupação com o que chamou de «séria ameaça» separatista no país. A advertência de Oleksander Turchinov, esta quinta-feira, vem depois de homens armados pró-russos terem tomado o parlamento regional da Crimeia em Simferopol, capital da república, palco de confrontos entre grupos pró e anti Rússia. A bandeira russa foi hasteada sobre o edifício.

O parlamento da Crimeia disse que pretende organizar um referendo sobre a reivindicação de mais autonomia do Governo central em Kiev.

Face ao aumento da tensão na Ucrânia, as agências russas de notícias afirmam que o Presidente deposto ucraniano, Viktor Ianukovych, está na Rússia e vai falar na sexta-feira.

A Ucrânia vive um momento de tensão entre sentimentos nacionalistas, despertada com os protestos que resultaram no afastamento do Presidente pró-Rússia Ianukovych. A Rússia considera a deposição de Ianukovych como um golpe da oposição, enquanto a maioria dos países da União Europeia apoia a mudança de Governo.

De acordo com o repórter da BBC em Simferopol, a violência na cidade ilustra a complexidade da situação da região, que piorou perante o vazio de poder.

«Os habitantes pró-russos da Crimeia temem que o novo Governo em Kiev represente uma ameaça aos laços com Moscovo», afirma Daniel Sandford.

Já os habitantes da Crimeia de etnia tártara apoiam a mudança. Tidos como os primeiros ocupantes da região, os tártaros sofreram uma invasão russa no século XVIII e, nos anos 1940, acabaram expulsos da região por Estaline e só regressaram à Crimeia nos anos 1990.

Partilhar
EM BAIXO: Viktor Ianukovich e Vladimir Putin (Lusa)
Viktor Ianukovich e Vladimir Putin (Lusa)

Talibãs podem juntar-se à «jihad»
E isso traz uma nova dimensão à causa dos rebeldes armados que por agora tentam conquistar o Iraque, mas que se «mexem» em todo o mundo
A cidade dos EUA onde ter uma arma é obrigatório por lei
Nucla é a primeira e única cidade do Colorado que fez um decreto para «contrariar» a tendência em adotar medidas mais rígidas para o controlo de armas
Vacina contra o ébola testada em humanos já esta semana
É o primeiro teste deste tipo, pelas mãos do Instituto Nacional de Saúde dos EUA
EM MANCHETE
«Eu estou de volta, Obama»
Jihadistas do Estado Islâmico divulgam novo vídeo com decapitação do jornalista Steven Sotloff. Carrasco parece ser o mesmo homem britânico
Cavaco recorda as suas palavras sobre o caso GES
«Lista de pedófilos é um incentivo à justiça popular»