O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, diz que, afinal, a cimeira com Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte, "ainda pode" acontecer a 12 de junho. 

Em declarações aos jornalistas, esta sexta-feira, Donald Trump diz que representantes da governação norte-americana estão em conversações com a Coreia do Norte, depois do comunicado "muito simpático" de Pyongyang.

Estamos a falar com eles neste momento", disse. 

Trump acrescentou que a reunião "ainda pode acontecer a 12". 

Nós iríamos gostar que se realizasse. Eles gostariam ainda mais que se realizasse."

Na quinta-feira, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Kim Kye Gwan, disse que Pyongyang ainda estava empenhado em que a cimeira se realizasse na data marcada e que dariam mais tempo a Washington para que reconsiderasse a posição anteriormente anunciada. O mesmo governante acrescentou que "apreciariam muito" que Trump aceitasse realizar a cimeira e que espera que "a fórmula Trump" possa conduzir a um acordo entre os adversários. 

"A primeira reunião não irá resolver tudo, mas resolvendo um problema de cada vez faria com que as relações [entre os dois países] se tornassem melhores e não piorassem", disse Kim Jong-un, num comunicado também divulgado esta quinta-feira pela agência de notícias estatal norte-coreana. 

Gostávamos que os Estados Unidos soubessem que temos intenção de nos sentarmos à mesma mesa com eles, para resolver os problemas, independentemente da data."

O comunicado de Pyongyang surge depois de Donald Trump ter anunciado que se preparava para cancelar a reunião prevista para Singapura, por causa do "grande ódio e hostilidade aberta" demonstrada nos últimos comunicados da Coreia do Norte.