Pelo segundo dia, continuam os protestos em várias cidades do Paquistão devido ao mais recente caso de violação e assassínio de uma criança, que ocorreu na cidade de Kasur, na província do Punjab, fronteira com a região do mesmo nome na Índia.

Zainab Ansari, de apenas sete anos, foi o mais recente caso, mas apenas um dos muitos que estão a levar milhares de paquistaneses às ruas, protestando contra a falta de preocupação da autoridades policias com as crianças, violadas e assassinadas no país.

Quarta-feira, segundo o relato da cadeia noticiosa norte-americana CNN, duas pessoas morerram em confrontos com a polícia.

Os protestos que se têm estendido por várias cidades paquistaneses e voltam a causar indignação um pouco por todo o mundo levaram o governo da região do Punjab a exigir à polícia que detenha o autor da barbaridade nas próximas 24 horas. Há também um prémio da ordem dos 75 mil euros para quem forneça informações que levem à captura do suspeito.

Muhammad Shehbaz Sharif, governador da região, exige ainda à polícia que apresente resultados sobre as investigações às mortes de onze outras meninas, igualmente violadas e assassinadas na região, antes do caso de Zainab.

Profundamente consternado com o assassínio de uma menina de 8 anos, num caso de abuso. As sociedades que não conseguem proteger as suas crianças estarão eternamente condenadas. Não vamos descansar que os perpetradores desse ato assustador sejam detidos  e recebam o castigo mais severo possível nos termos da lei", escreveu o governante na rede Twitter.

Levada por um homem

No dia 4 de janeiro, quando os pais estavam fora do país, numa peregrinação à Arábia Saudita, a menina Zainab terá sido levada de casa por um homem, segundo mostraram vídeos de câmaras de vigilância.

No dia seguinte, um tio da menina terá percebido que ela tinha desaparecido, segundo o relato da televisão local Geo News.

Dias mais tarde, o corpo da menina Zainab seria encontrado depois, numa lixeira a 100 metros de sua casa.

A autópsia, segundo relata a cadeia CNN, terá revelado que Zainab foi estrangulada, violada, sodomizada. Apresentava marcas de tortura no rosto, com a língua esmagada entre os dentes. Os médicos admitiram que pudesse estar já morta há uns dois ou três dias, quando foi encontrada.

Nos últimos dois anos, vivemos com medo. Os pais têm medo de deixar os seus filhos sair de casa", afirmou o pai da menina à imprensa, que acusa a polícia de nada fazer para encontrar os responsáveis pelos vários casos que têm ocorrido na região.

A morte da menina Zainab é a 12.ª que ocorre numa área de dois quilómetros, na cidade de Kasur, nos últimos tempos. Análises de ADN já realizadas revelam semelhanças em cinco dos casos, mas até à data, nenhum suspeito foi capturado.

A morte brutal da menina Zainab desencadeou nova onda de revolta em várias cidades do Paquistão e levou a mais jovem Nobel da Paz, a ativista Malala Yousafzai, também paquistanesa a condenar o caso.

De coração partido ao saber do que se passou com Zainab - uma criança de sete anos violada e brutalmente assassinada em Kasur, Paquistão. Isto tem de parar. Governo e autoridades responsáveis têm de agir", escreveu Malala na rede Twitter.