Dois imigrantes de 12 anos, um afegão e um iraquiano, foram gravemente feridos na quarta-feira pela polícia croata, que abriu fogo contra o veículo que os transportava, anunciou um porta-voz da polícia.

Na quarta-feira, por volta das 22:00 (hora local, 21:00 horas em Lisboa), uma carrinha com matrícula austríaca recusou-se a parar num controlo policial perto da fronteira com a Bósnia, declarou à agência de notícias francesa AFP o porta-voz da polícia Elis Zodan.

A polícia abriu fogo antes de descobrir que havia crianças entre os 29 imigrantes do Afeganistão e do Iraque que estavam a bordo da carrinha.

Havia um total de quinze crianças no veículo. O condutor da carrinha conseguiu escapar para os bosques que existem nas proximidades e ainda hoje continua a ser procurado.

Gravemente feridas", as crianças foram hospitalizadas em Zadar, no sul do país, e estão "estáveis", disse Elis Zodan, que não deu mais detalhes sobre a natureza dos ferimentos.

De acordo com o porta-voz, o veículo, que veio da Bósnia, cruzou a fronteira ilegalmente e duas vezes recusou-se a atender aos pedidos da polícia para parar.

O motorista tentou, por duas vezes, forçar a passagem", insistiu o porta-voz.

A Croácia, a Hungria e a Bulgária, os primeiros países da União Europeia que estão no caminho dos imigrantes que atravessam os Balcãs, são frequentemente criticados pela violência do tratamento reservado pelos seus polícias aos imigrantes.

A violência contra crianças e jovens que estão a tentar deixar a Sérvia hoje é uma constante e, na maioria dos casos, é exercida pela polícia nas fronteiras dos Estados membros da União Europeia", denunciou em outubro a missão dos Médicos sem Fronteiras na Sérvia.

Várias centenas de milhares de pessoas fizeram a rota dos Balcãs em 2015 para chegar à Europa Ocidental, antes de a União Europeia decidir fechar as suas fronteiras em março de 2016.

No entanto, centenas continuam a tentar atravessar a fronteira todos os anos, em condições muitas vezes extremamente perigosas.