Yanis Varoufakis está de volta, não na Grécia mas no Reino Unido, onde será conselheiro do Partido Trabalhista de Jeremy Corbyn, contra o primeiro-ministro David Cameron, contra a permanência na união económica.

Para os Trabalhistas, a experiência do economista grego, que desafiou a Comissão Europeia durante as negociações para o resgate da Grécia, é vista como uma mais-valia para um possível cenário de saída do Reino Unido da UE, mais conhecido por Brexit.

Foi o próprio Jeremy Corbyn quem anunciou a “aquisição” numa entrevista ao jornal local Islington Tribune, da área metropolitana de Londres.

Varoufakis, que se demitiu em julho de 2015 depois de o Governo grego aceitar as condições impostas pela UE para o resgate, será cabeça-de-cartaz de vários seminários dos "Labour" sobre finanças públicas, com o objetivo de "romper com o discurso dominante de Westminster”.

O ex-governante não terá um cargo formal no partido nem será filiado, será sim um conselheiro “para determinadas áreas”, sobretudo junto do braço direito de Jeremy Corbyn e porta-voz dos Trabalhistas para a área financeira, John McDonnel, com quem, aliás, o grego já se reuniu.

Varoufakis é, obviamente, interessante, porque esteve em todas as negociações com a troika. Sei que não estamos na eurozona, mas trata-se de compreender como podemos desafiar a noção de que temos de cortar caminho para sermos prósperos, quando na realidade temos de crescer para o conseguir”, argumentou.

Já em modo de preparação para o que se avizinha, Yanis Varoufakis foi muito crítico com o acordo alcançado entre David Cameron e os homólogos europeus e que culminaram na garantia do primeiro-ministro britânico em fazer campanha pelo "sim" no referendo de 23 de junho.