Um homem que viajou recentemente para a Libéria é suspeito de ter contraído o vírus do ébola. O internamento foi confirmado pelo hospital de Yale-New Haven, através de comunicado divulgado pelos media locais.

«O hospital recebeu um paciente esta quarta-feira à noite para avaliação do que podem ser sintoma de ébola. Ainda não confirmámos nenhum diagnóstico até agora. Estamos a trabalhar em colaboração com a cidade, o estado e as autoridades de saúde», pode ler-se.

Trata-se de um estudante e investigador da universidade de Yale que viajou para a Libéria, juntamente com outro colega, para instalar um programa de computador que permite às autoridades seguir o contágio do ébola.

Esta segunda-feira, quando regressaram da Libéria, os dois estudantes ofereceram-se para ficar de quarentena durante 21 dias, para garantir que não haveria perigo de terem contraído o vírus e contagiar alguém nos EUA, mas os médicos consideraram que bastaria que fossem observados durante três semanas, uma vez que não tinham estado em contacto direto com nenhum doente de ébola na Libéria.

Esta quinta-feira, o estudante foi internado no hospital de Yale-New Haven, no Connecticut, onde aguarda os resultados das análises.