O principal clã criminoso japonês, o clã Yamaguchi, tem a partir de agora uma página na Internet, noticiou esta quarta-feira a agência francesa AFP.

Nessa página, os Yamaguchi apresentam mensagens contra a droga, cerejeiras em flor, ou o monte Fuji coberto de neve, ao som de um hino do clã.

Os vídeos mostram a chegada de um «yakuza» (membro do clã), durante a noite e sob os flashes das máquinas fotográficas, a um templo xintoísta para fazer orações e vários «yakuzas» a participar nas cerimónias de Ano Novo.

Segundo a «Sky News», o maior grupo de crime organizado do Japão lançou o site para divulgar a organização e aumentar o número de membros que tem vindo a decrescer nos últimos anos.

O número de «yakuzas» atingiu o número mais baixo de sempre, ficando em 60 mil membros no final de 2013.

Esta não é a primeira vez que a organização tenta uma ação de propaganda para aliciar novos membros. Ainda no ano passado foi lançada uma revista sobre os clãs.

Tal como as mafias italianas e chinesas, os «yakuza» vivem de atividades como o jogo, as drogas, a prostituição, o crime de colarinho-branco e uma série de empresas de «fachada».

Os gangs não são ilegais no Japão, e têm sido historicamente tolerados pelas autoridades, ainda que existam períodos de restrição a algumas atividades.

A lealdade é um dos principais lemas da organização, que é conhecida por um dos seus rituais de punição, que consiste em amputar o dedo mindinho de quem tenha violado uma regra do grupo.