O mentor do atentado de Bombaim em 1993, Yakub Memon, foi esta quinta-feira executado por enforcamento na Índia, depois de ter sido considerado culpado de coorganizar os ataques que mataram centenas de pessoas e feriram mais de um milhar. 

Memon foi enforcado na prisão de Nagpur, no estado de Maharashtra, pelas 07:00 (02:30 em Lisboa), no dia do seu 53.º aniversário, de acordo com os canais televisivos NDTV e CNN-IBN, depois de o último pedido de clemência ter sido rejeitado pelo Presidente indiano e pelo Supremo Tribunal. 

A agência Press Trust of India, que também noticiou a execução, indicou que o corpo deverá ser entregue à família.
 
Os atentados de Bombaim, em 1993, mataram 257 pessoas. Mais de 700 pessoas ficaram feridas e várias casas foram destruídas. Foi o resultado de uma série de explosões coordenadas que sacudiram toda a cidade.
 
De acordo com a acusação, Yakub Memon foi um elemento indispensável para a colocação em prática de todo o plano. Foi ele que arranjou financiamento, planificou as viagens e comprou armas e os carros que depois serviram de carro-bomba. De todos os que já foram condenados por causa destes atentados, incluindo os homens que colocaram as bombas e as fizeram explodir, Yakub Memon foi o único a ser executado.