Christian Wulff, antigo presidente alemão, vai ser julgado por causa de uma conta de hotel de cerca de 800 euros, paga por um empresário a quem depois ajudou. Wulff estava a ser julgado por alegada corrupção, mas, durante a investigação, o tribunal deixou cair as acusações mais graves.

Wulff foi o mais jovem presidente da Alemanha e o que menos tempo esteve no cargo. Foi eleito em Junho de 2010 e demitiu-se a 17 de fevereiro de 2012, depois de lhe ser levantada a imunidade presidencial. Era suspeito de corrupção passiva, na época em que fora governador do estado da Baixa-Saxónia.

Teria aceite, em 2008, para a compra de uma casa, um empréstimo de 500 mil euros, por parte da mulher de um empresário, com juros abaixo dos praticados no mercado. O caso foi revelado pelo jornal «Bild», cujo diretor diz ter sido pressionado para abafar a história, e conduziu a uma investigação que revelou outras situações menos claras de alegado favorecimento de empresários, em troca de dinheiro.

Agora, está em tribunal por causa de uma estadia num luxuoso hotel de Munique, duranre a Oktoberfest, em 2008. A conta ou parte dela terá sido paga por um produtor de cinema a quem Wulff terá ajudado mais tarde a angariar apoios financeiros.

De acordo com a revista «Der Spiegel», a justiça alemã deslocou para esta investigação quatro procuradores e 24 investigadores da polícia. Mais de 100 testemunhas foram ouvidas.

O julgamento deve começar a 1 de Novembro.