William de Inglaterra e Kate Middleton foram recebidos, esta quinta-feira, no Butão, por “Will e Kate do Oriente”, ou seja, pelo rei Jigme Khesar Namgyel Wangchuck e a rainha Jetsun Pema.

O casal real daquele país, que faz fronteira com a China e a Índia, também é alvo de grande mediatismo. A rainha é apelidada de “Kate dos Himalaias” e deu à luz, em fevereiro, ao primeiro filho, um rapaz, como aconteceu com os duques de Cambridge.

Um conto de fadas num país que segue as tradições da cultura budista, que viveu sem televisão até finais da década de 90 e com uma capital que ainda não tem semáforos, só polícias sinaleiros, e que a riqueza se mede pela felicidade. 

Embora o rei tenha um poder simbólico no país, o monarca, que sucedeu ao pai em 2008, reavivou a simpatia do povo pela monarquia. Para tanto, muito contribuiu a sua história de amor.

 

Os casamentos reais, realizados em outubro e abril de 2011 (Foto Reuters)

O rei casou com Jetsun Pema em outubro de 2011. A jovem estudante tinha então 21 anos. Uma cerimónia que fez lembrar a celebração da união de Kate e William de Inglaterra, poucos meses antes, com direito a um beijo apaixonado na varanda do palácio.

O casal conheceu-se num piquenique quando o rei tinha 17 anos. O pedido de casamento também consistiu numa cena digna de filme. De acordo com o Sun, o rei do Butão pediu a mão de Jetsun quando ela tinha apenas sete anos. O monarca ajoelhou-se e ter-lhe-á dito:

Quando cresceres, se eu for solteiro e se tu fores solteira, gostaria que fosses minha mulher”.

Brincadeira ou não, o desejo do rei concretizou-se e ele esperou mesmo que Jetsun crescesse.

"Will e Kate do Oriente"  vão ser os anfitriões do casal real britânico durante dois dias. Kate Middleton e William de Inglaterra viajaram da Índia para o Butão.

Kate Middleton durante a viagem à Índia (Foto Reuters)