Várias organizações não-governamentais, em conjunto com a UNICEF, estão a tentar alertar os pais e a comunidade do Benim para o problema das crianças “presas” em conventos como forma de pagar os tratamentos de vudu. As ONG referenciaram 472 destes conventos neste país africano.

Houndedji e Madeline, de seis e dez anos, são duas das crianças salvas pela Plan Internacional. Ao todo, a organização retirou de um convento 310 crianças, que agora já vão à escola.

No Benim, acredita-se na cura de doenças através do vudu, mas, com os tratamentos muito caros, as famílias sem condições entregam as crianças aos curandeiros até perfazer o pagamento das dívidas. Por vezes, as crianças passam tanto tempo fechadas nestes locais que, quando saem, já não têm ninguém. É o caso de Eric, outro menino de que a CNN dá conta na sua reportagem, e que ainda não sabe do paradeiro dos pais.

A Respesd é outra organização que trabalha no campo do resgate destas crianças e na tomada de consciência, por parte da comunidade nacional, da violação dos direitos das crianças. Djofin Assou Gilbert já levou mesmo a temática ao presidente do Benim. O vudu é reconhecido como religião oficial desde 1996. A legislação sobre os direitos das crianças foi aprovada, no país, no final de 2015.