Um grupo de alunos, rapazes e raparigas, decidiu ir para a escola, com saias vestidas, em solidariedade com uma colega transexual que foi proibida de assistir às aulas por estar de saia. A imagem foi publicada na página do Facebook de uma comunidade denominada «Os Cariocas» e gerou uma onda de solidariedade, que levou mesmo ao movimento #VouDeSaia.





O caso que esteve na origem deste movimento aconteceu no dia 23 de agosto, quando uma aluna transexual foi barrada à porta do Colégio Dom Pedro II, no Rio de Janeiro, por estar de saia. Os colegas solidarizaram-se e decidiram criar o «saiaço» e, no dia 2 de setembro, foram todos de saia para a escola. Rapazes e raparigas.

A adolescente, que nasceu rapaz, ficou sensibilizada com a atitude dos colegas. «Fiquei feliz com o apoio dos colegas e espero que isso possa servir de exemplo para que ninguém mais seja discriminado», disse, em declarações ao jornal «O Dia».

O colégio argumenta que existe um regulamento do uso correto do uniforme, que todos os alunos devem seguir. Por isso, adolescentes do sexo masculino têm que usar calça e não saia. Ainda assim, de acordo com o portal R7, a direção da escola está a reformular esse regulamento. «O Colégio Pedro II reconhece que a adolescência é um período de descobertas e repudia qualquer tipo de intolerância e discriminação», informou a direção.