Um homem com uma deficiência física, dependente de uma cadeira de rodas, foi obrigado a subir sozinho as escadas do avião onde ia viajar, no dia 5 de junho. O incidente em que o homem acabou por ter de rastejar aconteceu no Japão, num avião da companhia aérea Vanilla Air que ia descolar da ilha de Amami para Osaka.  

Hideto Kijima, de 44 anos, teve de sair sozinho da cadeira de rodas e, depois da companhia aérea proibir a ajuda dos amigos e dos funcionários, por motivos de segurança, teve de subir 17 degraus até à entrada do avião. Apoiou-se nas escadas com os braços e carregou o peso do próprio corpo.

Segundo o jornal The Guardian, o passageiro sofre de uma paralisia na cintura e depois de já ter sido cliente de 200 aeroportos em 158 países, foi a primeira vez que lhe recusaram ajuda para entrar no avião.

Só tive que ignorá-los e continuar a subir, ou não podia voltar para Osaka (…) eu nunca pensei que seria impedido de voar por não conseguir andar. É uma violação dos direitos humanos”, explica Kijima.

De acordo com declarações feitas pelo homem, este não terá sido informado antes do voo que a companhia aérea e o pequeno aeroporto não possuíam elevadores para transportar passageiros com deficiência.

Depois do passageiro, diretor do Centro de Turismo Acessível no Japão (uma associação sem fins lucrativos que luta pelos direitos de acesso a pessoas com deficiência), ter apresentado queixa no Ministério dos Transportes, a companhia aérea pediu desculpas a Kijima.

Akihiro Ishikawa, porta-voz da Vanilla Air, disse que “pedimos-lhe desculpa pela experiência desagradável. Dizemos também que estamos a tomar medidas para melhor o nosso serviço”. A companhia referiu que se encontram a instalar elevadores para facilitar o embarque de passageiros com problemas físicos.