Alguns passageiros ficaram feridos depois de um avião da companhia aérea Thomas Cook ter sido evacuado, esta quarta-feira. O voo, procedente do Egito e com destino a Londres, foi interrompido depois de ter começado a aparecer fumo no lugar de um dos passageiros.

Segundo o jornal The Telegraph, o incidente ocorreu por volta da 01:40 horas locais (00:40h em Portugal) e tiveram de ser acionados os escorregas de emergência para os passageiros saírem do avião.

Estima-se que, pelo menos, três passageiros tenham ficado feridos. Um deles foi levado para o hospital com uma lesão num ombro e os outros dois receberam tratamento na clínica do aeroporto.

A bordo encontrava-se 251 passageiros e nove tripulantes. Um porta-voz da companhia aérea disse que “o voo MT519 com destino a Londres Gatwick realizou uma evacuação controlada antes da descolagem, no aeroporto de Hurghada, depois da equipa ter detetado um cheiro a queimado e fumo na parte de trás da cabine. A segurança dos nossos clientes é sempre a nossa principal prioridade e lamentamos muito o atraso”.

As reclamações não chegaram a tardar e vários passageiros expressaram a sua opinião nas redes sociais.

Esta não foi uma evacuação controlada, foi uma emergência e pessoas ficaram feridas. Eles deixaram pessoas em pé no avião”, escreveu uma passageira, Wendy Derek, no twitter.

Claire Mcllory, outra pessoa que se encontrava a bordo, escreveu na mesma rede social que a família da irmã tinha ficado presa dentro do avião e que ficou com o “cunhado ferido durante a evacuação”.  

De acordo com informações dadas pela companhia Thomas Cook ao jornal Daily Mail, o surgimento do fumo foi caudado por um problema mecânico e os passageiros foram transportados para Londres num avião diferente.