O presidente russo diz ter informações de que estão a ser planeados falsos ataques com armas químicas para desacreditar o presidente sírio Bashar al-Assad e ao mesmo tempo justificar novos bombardeamentos dos Estados Unidos.

As palavras do próprio Valdimir Putin foram proferidas no final de um encontro em Moscovo com o presidente italiano, Sergio Mattarella.

Questionado pelos jornalistas sobre se seria de esperar novos ataques dos Estados Unidos na Síria, Putin respondeu que “tem informação de que uma idêntica provocação está a ser preparada… noutras regiões do país, incluindo nos subúrbios a sul de Damascus, onde estará a ser planeado usar uma substância indeterminada e depois acusar as autoridades sírias do uso de armas químicas.”

Apesar destas afirmações, Vladimir Putin não apresentou qualquer prova que confirme esta intenção por parte dos Estados Unidos. Moscovo adianta que vai pedir às Nações Unidas uma investigação aprofundada ao incidente com gás sarin em Khan Cheikhoun, na província de Idlib e que provocou 58 mortos e cerca de 160 feridos.

Já a porta-voz do ministério russo dos Negócios Estrangeiros afirma que estão planeados encontros tripartidos para o final da semana entre os titulares das pastas do Irão, Síria e Rússia