A masmorra onde esteve preso o príncipe romeno Vlad III, o Empalador, inspiração para o sanguinário personagem Drácula, foi descoberta recentemente na Turquia. O achado foi feito por arqueólogos do país bem a tempo das comemorações do «Halloween», refere a revista norte-americana «Time».

A descoberta do calabouço foi feita durante um projeto de restauro no antigo Castelo Tokat, onde os otomanos aprisionaram o príncipe, em meados do século XV. Os investigadores descobriram um túnel secreto que levava a um abrigo militar. Duas masmorras também foram descobertas no castelo, uma delas, a de Vlad III.

«Tentamos esclarecer a história com as camadas de estrutura que desenterramos», afirmou ao «Hurriyet Daily News» o arqueólogo İbrahim Çetin, que trabalha nas escavações. 

O especialista revelou que a equipa ainda encontrou cubos de comida e um terraço aberto, bem como o abrigo militar e masmorras que foram «construídas como uma prisão». «O castelo é completamente cercado por túneis secretos. É muito misterioso», acrescentou o arqueólogo.

Vlad III, nascido em 1436, era príncipe da Valáquia, uma província histórica da Roménia, situada a norte do rio Danúbio. Ficou conhecido pelas lutas pela independência contra o Império Otomano e ganhou o cognome de o Empalador pelas torturas a que submetia os inimigos. 

O terror que espalhava por aquela região e a maldade com que lidava com os que se lhe opunham inspiraram o escritor irlandês Bram Stoker a criar o Conde Drácula, uma das personagens mais conhecidas da literatura clássica. O romance foi lançado em 1837 e desde então têm sido feitas várias obras inspiradas neste vampiro da Transilvânia, que hoje em dia equivale à zona centro-ocidental da Roménia.