O papa Francisco terminou esta segunda-feira a sua visita de cinco dias a Manila, nas Filipinas. No regresso ao Vaticano, levou na bagagem um momento que ficará para a História. É que, no domingo, celebrou a missa com o maior número de fiéis de sempre: entre seis a sete milhões de pessoas.

O recorde foi uma manifestação natural dos filipinos que, mesmo com o clima de tempestade, ousaram assistir à missa do Papa, ao ar livre, no Rizal Park.

Esta segunda-feira, as ruas voltaram a encher-se de milhares de pessoas que quiseram acompanhar o líder da Igreja Católica, entre a nunciatura do Vaticano em Manila e a base aérea de Villamor, de onde descolou o avião papal.

O recorde anterior foi de uma missa assistida por cinco milhões de pessoas, celebrada por João Paulo II, no mesmo local, em 1995.

Há mais de 80 milhões de católicos nas Filipinas e as crianças daquele país foram protagonistas de momentos comoventes, cantando e dançando, aclamando Bergoglio. «Papa Francisco, nós te amamos», gritavam. A homilia final foi mesmo dedicada a elas.

O Papa terminou, assim, uma visita histórica ao terceiro país com maior população de católicos de todo o mundo atrás do Brasil e do México. Apelou repetidamente à redução da pobreza e desigualdade no mundo.

Benigno Aquino e o arcebispo de Manila, Luis Antonio Tagle, estiveram, com vários membros do governo, na despedida. 

Veja também: A história da menina que emocionou o Papa