O Governo canadiano diz estar disponível para enviar vacinas contra a febre hemorrágica do Ébola para os países africanos afetados. A notícia surge depois da Organização Mundial de Saúde ter aprovado o uso de tratamentos experimentais para o combate do vírus .

Greg Taylor, subchefe de gabinete da Agência de Saúde Pública (ASP) do Canadá, disse, esta terça-feira, à Reuters que o Canadá tem cerca de 1500 vacinas para uso em animais contra o vírus do Ébola disponíveis e que demorará entre quatro a seis meses para produzir maior quantidade.

Esta vacina é diferente da criada pela empresa canadiana «Tekmira Pharmaceuticals Corp».

Taylor explicou que o envio da vacina é uma prioridade para a ASP. «É algo que precisamos de fazer, estamos a trabalhar tão rapidamente quanto podemos», disse o responsável. O subchefe da ASP disse ainda que a vacina já foi testada em macacos, mas nunca em seres humanos.

«O nosso Governo está comprometido em fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para apoiar os parceiros internacionais, incluindo a disponibilização de equipas de assistência para a saúde, pesquisa e acesso à nossa vacina experimental», disse Rona Ambrose, Ministra da Saúde do Canadá.

«Não sabemos o quão eficaz esta vacina pode ser ou que efeitos secundários pode ter. Mas dadas as circunstâncias em África, vamos fazer o que tiver ao nosso alcance», disse Greg Taylor.



Segundo a mesma fonte, as primeiras doses da vacina serão administradas nos profissionais de saúde juntamente com outros medicamentos para ensaios toxicológicos e clínicos.



A Agência de Saúde Pública do Canadá está também a trabalhar no desenvolvimento da «ZMapp», um tratamento experimental para o Ébola usado em dois funcionários americanos infetados com o vírus. A Libéria é um dos países que aguarda este soro para tratar dois médicos infetados.

Até agora o vírus do Ébola já matou 1013 pessoas, a sua maioria na Guiné, Libéria e Serra Leoa.