Uma adolescente indiana de 16 anos morreu depois de ter sido violada e queimada viva no telhado da sua casa, anunciou esta terça-feira a polícia.

A jovem ficou com queimaduras em mais de 90% do corpo depois do ataque, na segunda-feira, e morreu esta terça-feira num hospital de Nova Deli, disse Ashwani Kumar, polícia responsável pela investigação, à agência AFP.

Infelizmente, ela não se salvou apesar de todos os esforços médicos”, acrescentou. “Nós detivemos o suspeito, de 19 anos, que se encontra preso”.

O responsável explicou ainda que está a decorrer uma investigação para apurar mais detalhes sobre o crime.

O corpo foi enviado para autópsia. Estamos a aguardar o relatório”, afirmou Ashwani Kumar.

A imprensa local avança que o suspeito, agora acusado de rapto e homicídio, era vizinho da adolescente e já a assediava há algum tempo, apesar dos avisos da família.

Organizações ativistas pelos direitos das mulheres acusam as autoridades de desvalorizar este tipo de perseguições, que depois se perpetuam em crimes.

As mulheres e crianças indianas são consideradas especialmente vulneráveis à violência sexual e assédio. O tabu em torno da questão leva a que muitas delas nem denunciem os crimes às autoridades.

No passado mês de outubro, uma bebé de dois anos foi raptada e violada por dois adolescentes, em Nova Deli. Também no ano passado, uma turista japonesa foi violada, roubada e mantida refém durante quase um mês naquele país. Cinco homens foram detidos.