O Parlamento britânico vai aprovar uma lei que permite às mulheres consultar o registo criminal dos seus companheiros, como medida de precaução contra a violência doméstica.



A nova lei está, desde 2012, em experiência nas regiões de Manchester, Wiltshire, Nottinghamshire e Gwent e deverá ser aprovada em março. O único entrave prende-se com a quantidade de informação a que poderão ter acesso as mulheres.

O projeto legislativo foi apelidado de «Clare», em homenagem a Clare Wood, uma mulher assassinada pelo namorado em 2009 e que desconhecia o histórico de violência do companheiro, George Appleton.

A família de Clare Wood está entre os principais defensores de uma lei que permita às mulheres ter acesso aos antecedentes criminais dos namorados.

Segundo a BBC, a ministra do Interior Theresa May apresentou, nesta segunda-feira, a nova lei ao Parlamento. «A lei de Clare dá às pessoas a informação que elas precisam para fugir de uma situação de abuso físico, antes que tudo termine em tragédia», argumentou a ministra, acrescentando que «o esquema nacional permitirá que possam ser tomadas decisões bem-informadas sobre as relações».

No ano passado, 88 mulheres foram mortas pelos companheiros na Grã-Bretanha. A lei pretende seguir os passos da «Lei de Sarah», de combate à pedofilia.

Sobre esta última, em 315 pedidos à polícia sobre suspeitas de pedofilia, confirmaram-se 21 casos em que realmente havia historial de alguma forma de risco para as crianças.