A polícia britânica emitiu um mandado de detenção internacional para o português condenado pela violação de uma menor inglesa, em 2012, mas que conseguiu fugir antes da condenação à revelia a 11 anos de cadeia, disse fonte policial.

Em declarações à agência Lusa, uma porta-voz da polícia de Staffordshire explicou que o mandado foi emitido na sequência da ausência de António Pedro de Alves no julgamento no tribunal criminal de Stafford, no centro de Inglaterra, em maio de 2013.

«Agentes de uma equipa de investigação especial iniciaram uma investigação usando uma série de métodos», disse a fonte, acrescentando que aquela unidade está em contacto com autoridades de outros países através da Interpol.

Sem confirmar se estão em contacto com as autoridades portuguesas, a fonte apenas disse que forneceram «um volume significativo de informação às autoridades relevantes» e que a investigação continua aberta.

«Enquanto investigamos para localizar António Alves, não temos jurisdição, nem poder de lei, para ir a outro país até que os agentes da lei tenham detido o fugitivo», vincou.

António Alves, de 41 anos, foi detido em janeiro de 2012 por violação, no mês anterior, de uma rapariga de 12 anos, com a qual marcou um encontrou após se ter feito passar por um rapaz de 15 anos durante conversas na Internet.

A acusação só aconteceu em 2013, tendo o português ficado sempre sob liberdade provisória. Foi julgado à revelia, porque não compareceu em tribunal e o júri considerou-o culpado de violação.

De acordo com o jornal «Daily Mail», a vítima, atualmente com 15 anos, está a ponderar usar o dinheiro de uma indemnização que espera receber do Estado britânico para pagar a detetives privados para encontrarem o agressor.

«Ela não consegue continuar com a vida enquanto o homem que a violou continuar em liberdade», declarou a mãe da vítima ao jornal, sob anonimato para proteger a identidade da filha.