“As nossas provas sugerem que um capacete azul da ONU violou uma menor de 12 anos e que forças da ONU mataram indiscriminadamente dois civis”, disse.