Um sem-abrigo de 31 anos foi condenado por violação e invasão de propriedade privada com a intenção de cometer um crime sexual. O homem escondeu a cara para a vítima não o identificar, mas foi «denunciado» pela App do telemóvel que roubou à mulher.

Com a decisão do tribunal de Woolwich, no Reino Unido, coloca-se um ponto final num crime ocorrido em Londres, em julho de 2013, quando uma mulher foi violada na própria casa.

O vídeo da câmara de segurança mostrava o homem a tapar a cara com uma t-shirt antes de entrar por uma janela aberta no terraço da casa. A vítima estava a dormir quando foi surpreendida por Raymond Yates, como conta a «Sky». A investigação da polícia levou a força até um sem-abrigo.

Yates acabou por roubar os dois telemóveis da vítima e foi uma aplicação num deles que permitiu a localização do aparelho e, consequentemente, do agressor.