O Presidente ucraniano, Viktor Ianukovich, promulgou esta sexta-feira uma lei de amnistia dos detidos durante os protestos da oposição e a anulação de legislação adotada em janeiro que na prática reprimia a realização de manifestações.

Os novos decretos, que na perspetiva das autoridades constituem uma concessão à oposição que iniciou uma vaga de protestos há mais de dois meses, foram votados na quarta-feira na Rada (parlamento), mas com a exigência do fim da ocupação dos edifícios governamentais e dos locais públicos.

A amnistia, exigida pela oposição para as dezenas de manifestantes detidos, constitui um ponto crucial para a tentativa de resolução da crise política no país, despoletada em finais de novembro após a recusa do Presidente ucraniano em assinar um acordo de associação com a União Europeia em detrimento do reforço das relações comerciais com a vizinha Rússia.