Um ex-executivo da empresa estatal de petróleo do Vietname foi condenado por duas vezes no espaço de quinze dias a penas de prisão perpétua por corrupção, anunciaram as autoridades judiciais deste país.

Trinh Xuan Thanh, 51 anos, foi hoje condenado a uma pena de prisão perpétua por alegadamente ter desviado mais de meio milhão de euros da PetroVietnam Construction, uma companhia de construção civil ligada à PetroVietnam, empresa petrolífera estatal.

No âmbito desse processo foram julgadas ainda mais sete pessoas, que receberam penas de prisão entre seis e 16 anos.

Há precisamente 15 dias, Trinh Xuan Thanh já tinha sido condenado a prisão perpétua noutro processo, em que era acusado de ter desviado perto de 150 mil euros de uma fábrica hidroelétrica. Nesse primeiro julgamento foi também condenado a 13 anos de cadeia por “má gestão” um antigo dirigente do Partido Comunista do Vietname.

Trinh Xuan Thanh está no centro de uma polémica entre o Vietname e a Alemanha, que acusa o país asiático de ter raptado o gestor quando este se encontrava em solo alemão, levando-o depois às escondidas para ser julgado no seu país de origem.

Em agosto de 2017, o ministro dos Negócios estrangeiros da Alemanha, Sigmar Gabriel, disse mesmo que o seu país ponderava adotar medidas contra o Vietname por ter sequestrado o executivo do setor petrolífero em Berlim.

Thanh foi retirado da Alemanha por meio de métodos como os que se veem em filmes de espionagem sobre a Guerra Fria. E isso é algo que não podemos aceitar”, disse Gabriel.