As pilhagens na Argentina já fizeram, ao todo, nove mortos.

Só nas violentas pilhagens verificadas na segunda-feira nas províncias do norte da Argentina, onde a polícia está em greve, morreram quatro pessoas, revela o jornal «La Tercera».

Uma fonte do Governo local da província de Chaco, no nordeste, afirmou que morreram três pessoas que se pensa terem participado nas pilhagens e um comissário adjunto da polícia.

Em Jujuy, no norte do país, as autoridades locais indicaram a morte de duas pessoas, uma na cidade de San Pedro, outra em Perico.

Um dos alegados assaltantes terá morrido eletrocutado.

A greve dos polícias dura há cerca de uma semana e já se alastrou a todo o país. Para controlar as pilhagens e aumentar a segurança, o Governo já mandou dez mil soldados para as ruas, acrescenta o «El País».

A polícia está aquartelada em protesto, já que reivindica melhores salários. O governo acusa as autoridades de quererem desestabilizar o país numa altura que se cumprem 30 anos de democracia.