A Malaysia Airlines informou as famílias dos passageiros que o avião desaparecido desde 8 de março caiu no Oceano Índico e não há sobreviventes. O primeiro-ministro da Malásia confirmou esta informação numa conferência de imprensa.

«A Malaysia Airlines lamenta profundamente que temos de assumir, sem dúvida alguma, que o voo MH370 se perdeu e que nenhuma das pessoas a bordo sobreviveu», diz uma SMS enviada aos familiares citada pela BBC.

«Como irão ouvir do primeiro-ministro da Malásia, temos de aceitar que todas as provas sugerem que o avião caiu no sul do Oceano Índico», continua.

«Quem fez isto levou o avião para o fim do mundo»

O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anunciou que foram investigadores britânicos a chegar a esta conclusão.

«É com grande tristeza e lamento que, de acordo com novas informações, somos obrigados a concluir que o voo MH370 acabou no oceano Índico», disse o chefe do governo malaio.

O avião despenhou-se no mar, numa zona remota, muito longe de qualquer zona de aterragem, a milhares de quilómetros do que seria a sua rota de Kuala Lumpur até Pequim, confirmando-se que foi desviado.

A afirmação do primeiro-ministro malaio está baseada na análise de imagens de satélite que situam a última visualização do aparelho no sudoeste da cidade australiana de Perth.

Esta é a zona de buscas que há vários dias concentra os esforços da Austrália, da China e dos Estados Unidos.

A imprensa chinesa está a avançar que os familiares vão viajar para a Austrália depois destas novas informações.

239 pessoas iam a bordo do aparelho que desapareceu no dia 8 de março.