A Federação de Surdos da África do Sul confirmou que o intérprete de linguagem gestual presente no memorial a Nelson Mandela era «falso». Os alertas sobre a veracidade das mensagens transmitias foram levantados por várias pessoas surdas que assistiram a cerimónia.



Bruno Druchen, diretor nacional da Federação de Surdos da África do Sul, disse que o homem não identificado que estava em palco ao lado de vários líderes mundiais, incluindo Barack Obama, «movia as mãos, mas não existia significado no que transmitia».

Também Wilma Newhoudt, surda e deputada no Parlamento sul-africano, afirmou que o homem não comunicava nada com as mãos.

Vários peritos em linguagem gestual já atestaram que o homem não estava a «falar» inglês ou qualquer uma das 11 línguas oficiais da África do Sul.

Já Cara Loening, diretora do centro educativo e desenvolvimento de linguagem gestual da Cidade do Cabo disse à France Press que o intérprete «é uma fraude completa».

«Ele não fez nada, não se viu nem sequer um gesto. Limitava-se apenas a abanar os braços» disse Loening, acrescentando que o intérprete que traduziu para linguagem gestual o discurso do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, «parecia que estava a espantar moscas da cara e da cabeça».