Quatro lusodescendentes foram eleitos nas municipais de domingo na cidade francesa de Aulnay-sous-Bois, a sétima da grande Paris, um recorde numa cidade com mais de 80 mil habitantes, informou um dos luso eleitos, Paulo Marques.

Português eleito nas autárquicas francesas

«O resultado foi excelente, o melhor resultado de sempre», contou à Lusa o autarca, eleito pelo UMP, partido do ex-presidente Nicolas Sarkozy.

O partido recolheu 60,7% dos votos, contra 39,3% da lista encabeçada pelo presidente da Câmara cessante, que fez apenas um mandato.

Em declarações à Lusa, Paulo Marques destacou a «importância da eleição de quatro» lusodescendentes, Elisabete Rodrigues, Amélie Pinheiro, Paulo Marques e José Correia, entre 53 eleitos.

«É um recorde numa cidade de mais de 80 mil habitantes», afirmou, recordando que, com 83 mil habitantes, Aulnay-sous-Bois é a 3ª cidade em população do distrito de Seine-Saint-Denis e a 7.ª da região Ile de France, a grande Paris.

Dos 83 mil habitantes, acrescentou, mais de 10 mil são portugueses e filhos de portugueses, dos quais 2.479 estavam recenseados para votar nestas autárquicas.

Paulo Marques, que nasceu em França há 44 anos filho de portugueses de Ourém, destacou o «forte acréscimo» do número de lusodescendentes recenseados, já que em 2008 eram apenas cerca de 1.300.

Presidente da associação Cívica, de autarcas de origem portuguesa, Paulo Marques disse ser cedo para avançar quantos lusodescendentes foram eleitos nas municipais de domingo, mas afirmou haver «um forte acréscimo, claramente».

O secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, afirmou hoje que mais portugueses e lusodescendentes deverão ter sido eleitos nas municipais francesas, a quem apelou que garantam uma ligação com Portugal nas suas políticas.

Em declarações à Lusa, o governante afirmou não dispor ainda de números sobre os eleitos portugueses ou lusodescendentes nas eleições municipais, mas estimou que «poderá haver bastante mais eleitos».

«Percebemos que houve um aumento claro do número de recenseados e houve mais movimentações a nível da comunidade no sentido de se envolverem nestas eleições. Há muitas personalidades da comunidade que foram eleitas», disse José Cesário, acrescentando tratar-se de «um fator de satisfação muito grande».

O Governo português pede aos eleitos que mantenham «uma ligação com Portugal».

«Pedimos que não esqueçam as respetivas origens, que as tenham muito presentes, e que em políticas de natureza social, de promoção cultural, a nível da língua portuguesa, de promoção dos produtos portugueses, eles consigam fazer uma ligação com Portugal e com as respetivas comunidades locais», sublinhou Cesário.

Os resultados provisórios das eleições municipais em França apontam para a liderança da direita com 45,9% dos votos, seguida da esquerda, com 40,5%, e da extrema-direita, com 6,8%.

Questionado sobre o aumento dos resultados eleitorais da Frente Nacional (extrema-direita), numa altura em que países como a Alemanha e a Suíça endurecem as medidas contra os imigrantes, José Cesário disse que «este tipo de crescimento dos partidos radicais é cíclico, acontece quando há alguma indefinição nos projetos políticos e nos projetos económicos e quando há um aumento substancial do desemprego».

«A Europa está a viver uma fase de redefinição muito grande, o projeto europeu está a necessitar de um grande amadurecimento», acrescentou, mostrando-se convicto de que ¿com o previsível crescimento económico, que se está a adivinhar, haverá uma recuperação dos partidos mais moderados».