Três adolescentes, nos Estados Unidos, estão acusados no caso da morte de um jovem estudante australiano, abatido a tiro pelas costas, enquanto estava a fazer «jogging». Às autoridades, os três jovens disseram ter matado apenas por «diversão».

Christopher Lane, um jovem australiano de 23 anos, estava nos Estados Unidos a viver um sonho: estudar em terras do Tio Sam com uma bolsa como jogador de basebol. Christopher estava a fazer «jogging» nos arredores de Oklahoma, durante uma visita à namorada em Duncan, quando foi atingido pelas costas a partir de um carro.

No automóvel seguiam James Edwards, de 15 anos, Michael Jones, de 17, e Chancey Luna, de 16. Terá sido este último a efetuar os disparos que levaram à morte de Christopher Lane. À polícia, os três suspeitos confessaram-se «entediados» e justificaram que mataram por «diversão». Foram palavras muito difíceis de entender pela família da vítima, na Austrália.

Os Estados Unidos, que rejeitaram recentemente a lei que visava dificultar a compra de armas, prometem fazer justiça.

O caso está a revoltar a Austrália, onde um antigo vice-primeiro-ministro apelou aos turistas para não viajarem para os Estados Unidos. Tim Fisher recordou aos australianos que a hipótese de serem alvejados nos EUA é 15 vezes maior do que na Austrália.