O Senado italiano decidiu esta quarta-feira retirar o lugar de senador ao ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi depois deste ter sido condenado a quatro anos de prisão por fraude fiscal.

O Senado, a câmara alta do Parlamento italiano, rejeitou nove propostas apresentadas por vários senadores para que não fosse aplicada a Berlusconi a chamada «lei Severino» aprovada pelo anterior Governo liderado por Mario Monti, que estabelece a expulsão do Parlamento dos condenados a penas superiores a dois anos de prisão.

Na segunda-feira, Silvio Berlusconi garantia ter novas provas da sua inocência para reabrir o processo Mediaset, do qual resultou a condenação a quatro anos de prisão.

O antigo chefe do Governo anunciou, então, que iria apresentar essas provas no tribunal de recurso, apelando aos senadores para adiarem a votação sobre a sua expulsão, marcada para esta quarta-feira, o que não se verificou.

No fim de semana, Berlusconi tinha dito, inclusive, que votarem pela sua saída da Câmara Alta seria um golpe de Estado.