Pelo menos 55 pessoas tiveram de receber assistência médica devido ao lançamento de gás lacrimogéneo durante os confrontos entre a polícia e manifestantes em Banguecoque, segundo dados revelados esta segunda-feira pelo centro de emergências Erawan.

Os feridos foram admitidos em cinco hospitais da capital tailandesa, de acordo com o mais recente relatório do centro que recolheu dados até à noite de domingo.

Os confrontos repetiram-se esta segunda-feira com novos lançamentos de gás por parte da polícia, que utilizaram compostos mais potentes e conseguiram forçar os manifestantes a recuar na sua tentativa de tomar de assalto vários edifícios governamentais.

Os manifestantes antigovernamentais tentam retirar as barricadas de cimento colocadas pelas autoridades para poder aceder à Casa do Governo e à sede da Polícia Metropolitana, fortemente vigiadas por cerca de dois milhares de polícias antimotim.

Durante o dia de domingo, milhares de manifestantes causaram o caos nos mesmos lugares do centro de Banguecoque, envolvendo-se em confrontos com os agentes contra os quais lançaram pedras, garrafas e explosivos artesanais, segundo a polícia.

Inúmeras escolas e universidades da capital foram encerradas por motivos de segurança.