A guerra na Ucrânia somo mais um dia violento. Vinte e três soldados ucranianos foram mortos por separatistas pró-russos, num posto de fronteira com a Rússia, na província de Lugansk, no leste do país. É o ataque mais mortífero contra as forças de Kiev desde o fim do cessar-fogo, há duas semanas.

Não há imagens deste que é o maior e mais mortífero ataque contra as forças de Kiev desde o fim do cessar-fogo, há 11 dias.

O presidente da Ucrânia, Petro Poroschenko, que reuniu de emergência o Conselho de Segurança Nacional alarmado com o armamento usado no ataque na madrugada desta sexta-feira: mísseis Grad de fabrico russo.

O ataque feriu ainda mais de cem feridos e representa um revés na dinâmica de vitória que as forças de Kiev estavam a ter sobre os separatistas, ao fim de três meses de conflito.

Uma ofensiva que demonstra que os rebeldes mesmo tendo perdido, há uma semana, o controlo de cidades como Slaviansk e Kramatorsk não vão depor as armas.