Pelo menos 18 pessoas foram detidas domingo na Praça de Altamira, a leste de Caracas, um dia depois do Presidente venezuelano ter feito um ultimato aos manifestantes para abandonarem o local sob pena de ele mandar «libertar» a praça.

Testemunhas residentes nas imediações da praça explicaram à agência Lusa que os manifestantes lançaram engenhos incendiários artesanais e vários objetos contra as forças de segurança presentes no local, que responderam com «uma chuva» de bombas de gás lacrimogénio e jatos de água.

Os detidos foram levados para o forte de Tiuna, a principal base militar de Caracas.