O líder do Boko Haram prometeu impedir a realização das eleições na Nigéria, agendadas para 28 de março. A ameaça foi feita através de um vídeo, divulgado esta terça-feira no Twitter.
 
Depois de dois atentados suicidas no nordeste da Nigéria terem feito quase 40 mortos, Abubakar Shekau, o líder do grupo extremista, apareceu num vídeo a ameaçar a realização das eleições presidenciais e parlamentares do país.
 

«As eleições não vão ser realizadas, nem se estivermos mortos. Alá jamais o permitirá», afirmou.

 
Os especialistas não acreditam que os rebeldes tenham condições para prejudicar o escrutínio em todo o país, mas, admitem que isso possa acontecer no nordeste da Nigéria, a região onde o grupo está sediado e onde tem feito a maioria dos ataques.
 
Já esta quarta-feira,o governo da Nigéria anunciou que cerca de 300 militares do Boko Haram foram mortos pelas forças especiais nigerianos, apoiadas por ataques aéreos. A operação, que pretendia recuperar 11 das cidades e vilas que foram tomadas pelo grupo extremista, também resultou na apreensão de diversas armas e equipamento militar.

«Foram apreendidas várias armas e equipamentos, outros foram destruídos», disse o porta-voz do ministério da Defesa, Chris Olukolade.