«As eleições não vão ser realizadas, nem se estivermos mortos. Alá jamais o permitirá», afirmou.




«Foram apreendidas várias armas e equipamentos, outros foram destruídos», disse o porta-voz do ministério da Defesa, Chris Olukolade.