O Papa Francisco pediu este domingo aos novos cardeais da Igreja Católica que façam com que os cristãos evitem a tentação de se isolarem em castas, instando-os a querer estar com os marginalizados.

«Exorto-vos a servir a Igreja de tal maneira que os cristãos (…) não se sintam tentados a estar com Jesus sem quererem estar com os marginalizados, isolando-se numa casta que nada tem de autenticamente eclesial».


Na sua homilia proferida na Basílica de São Pedro, no Vaticano, Francisco pediu ainda aos cardeais para servirem todo o tipo de pessoas vítimas de marginalização, sejam presos, doentes, desempregados ou até os que perderam a fé.

«Este é o caminho da Igreja: não só acolher e integrar, com coragem evangélica, aqueles que batem à nossa porta, mas ir à procura, sem preconceitos nem medo, dos afastados revelando-lhes gratuitamente aquilo que gratuitamente recebemos. A disponibilidade total para servir os outros é o nosso sinal distintivo, é o nosso único título de honra».


A homilia partiu do exemplo bíblico da cura de um leproso por Jesus Cristo, com o Papa a lembrar que na altura as vítimas desta doença suscitavam medo e nojo. Partindo deste exemplo, Francisco pediu aos cardeais que acolham e integrem.

No sábado, foram investidos pelo Papa Francisco 20 novos cardeais (15 eleitores e cinco não eleitores), entre os quais o patriarca de Lisboa, Manuel Clemente.