«Tentei fazer uma obra de economia política, mas não tinha a formação necessária» recorda o diário. «Não me arrependo de ter escrito o livro, mas é uma etapa que, para mim, está superada», como cita a Lusa.


O escritor, interrogado sobre este episódio, respondeu: «Nem Obama nem Chávez poderão entender o texto […]. [Chávez] pode ter dado a obra com a melhor das intenções, mas ofereceu-o num idioma que Obama não conhece. Pode ter sido um gesto generoso, mas foi um pouco cruel».