Os 28 países da União Europeia apoiaram esta quarta-feira uma proposta da Comissão Europeia para maximizar o uso dos fundos estruturais para a Grécia, melhorar a sua liquidez e impulsionar o crescimento económico e o emprego no país.

Os embaixadores da União Europeia (UE), reunidos no Comité de Representantes Permanentes, apoiaram esta iniciativa com a qual pretendem resolver a falta de fundos públicos disponíveis para realizar investimento na Grécia.

O objetivo da proposta é garantir que os fundos estruturais e de investimento europeus são aproveitados ao máximo e dão resultados tão depressa quanto possível.

"As medidas aprovadas são excecionais e estão desenhadas para responder à situação extraordinária criada pela crise financeira na Grécia", refere o Conselho da UE em comunicado.


A norma, caso siga para negociação com o Parlamento Europeu, melhoraria a liquidez da Grécia em cerca de dois mil milhões de euros.

Os fundos europeus em causa são do Fundo Social Europeu, do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, do Fundo de Coesão e do Fundo Europeu Marítimo e de Pesca.

Com a medida, seriam ainda libertados mil milhões de euros adicionais em 2015 e em 2016, que seriam garantidos pela Comissão Europeia.