As famílias dos passageiros que morreram com desaparecimento do avião da Malásia, em março deste ano, estão indignadas com o lançamento de um livro sobre a tragédia apenas 71 dias depois do acidente.

O livro, que já está nas bancas no Reino Unido, defende uma das teorias mais populares: o avião terá sido abatido acidentalmente e que as buscas por sobreviventes foram encenadas.

Alguns familiares já manifestaram à imprensa britânica o quanto estão incrédulos, não só pelo lançamento do livro, mas também pela total ausência de respostas sobre o que aconteceu aos passageiros.

O livro intitulado: «Voo MH370: O Mistério» afirma que o avião foi abatido pela Força Aérea norte-americana durante um exercício de treino que correu mal e que as operações de busca foram intencionalmente direcionadas para zona falsa para encobrir o que de facto tinha acontecido.

Irene Burrows mãe de um dos passageiros desaparecidos disse que o livro foi lançado «muito cedo» e que para além da «especulação do que pode ter acontecido» não apresenta respostas.

Segundo o autor, Nigel Cawthorne, poderá mesmo nunca existir uma resposta concreta.