Os seis países fundadores da União Europeia defendem uma solução comum a todos os estados-membros para enfrentar a crise dos refugiados e o terrorismo.

O alerta foi dado esta terça-feira, em Roma, no final da reunião entre os ministros dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, França, Itália, Bélgica, Luxemburgo e Holanda, o país que detém a presidência rotativa da união europeia.

Na cidade onde foi assinado o primeiro tratado em 1957, o ministro italiano, Paolo Gentiloni, foi claro ao afirmar que a solução para o problema dos refugiados não pode passar por decisões individuais dos estados-membros.