A União Europeia vai esperar para ver se o cessar-fogo se mantém e a Rússia escapa, pelo menos por agora, a novas sanções.

O novo pacote de sanções a Moscovo - que ia ser formalizado esta segunda-feira, depois do acordo de princípio ter sido alcançado na sexta passada - foi atrasado de propósito, porque alguns governos querem colocar em cima da mesa a discussão sobre a forma de suspender as sanções, caso o cessar-fogo na Ucrânia continue a ser respeitado.



Segundo a Reuters, os representantes europeus devem reunir-se novamente pelas 18 horas, em Bruxelas. Este compasso de espera deverá resultar numa de duas soluções: as sanções podem ser implementadas primeiro, na mesma, e suspensas depois, se o clima de paz vier para ficar; ou se nem deverão ser aplicadas de todo.

O protocolo de cessar-fogo foi assinado pela Ucrânia e pelos líderes separatistas pró-russos na passada sexta-feira, com estes, no entanto, a fazerem questão de dizer isso não significava o fim da política de divisão com Kiev.

Mas, como tem sido recorrente, o clima de tréguas nem sempre é o que parece. Logo no dia a seguir, na noite de sábado, registaram-se fortes explosões nos arredores de Mariupol, cidade portuária do leste do país.

Ainda assim, a UE está a dar o benefício da dúvida à Rússia. Daí este compasso de espera.