Uma menina afegã de 10 anos foi obrigada pelo irmão, um chefe local talibã, a vestir um colete suicida, segundo contou a própria em entrevista à Sky News.

Spozhmai entregou-se à polícia no passado domingo contando que o irmão lhe tinha vestido um colete suicida e pedido que se fizesse explodir.

O plano era simples: a menina de 10 anos só tinha de se aproximar de um posto de segurança na estrada e pedir boleia a um polícia para Kunar, uma província perto de Helmand, no sul do Afeganistão.

Mas, quando o dia fatídico chegou, a menina mudou de ideias, embora o irmão lhe tenha dito que «ela ficaria viva e somente a polícia é que ia morrer». Mesmo assim, Spozhmai decidiu deixar o colete perto de um rio e entregar-se à polícia.

Contudo, o canal afegão Tolo TV tem outra versão do sucedido: Spozhmai terá mesmo ativado os explosivos, mas falhou.

O certo é que a menina continua com a polícia, o pai já foi detido e as autoridades continuam as buscas para encontrar o irmão.

Na entrevista, Spozhmai confessa ter medo de voltar para casa.

«Se eu voltar para casa, eles voltarão a obrigar-me a vestir um colete suicida. Deus não me trouxe ao mundo para que eu me tornasse uma bombista suicida», conclui a menina de dez anos.