Os jihadistas do estado islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) proibiram, no seu reduto de Raqa, norte da Síria, a existência de manequins em lojas e a venda de roupas íntimas das mulheres aos homens.

A decisão anunciada pelo grupo de extremistas proíbe também que homens e mulheres façam compras em conjunto, a não ser que sejam casados, adiantou o Observatório Sírio dos Direitos do Homem, uma Organização Não Governamental (ONG).

A Agência France Presse (AFP) acrescenta ainda que as vestes tradicionais à venda não devem ser nem «apertada, transparente ou ornamentada».